últimas

SEPROR E AGENTES FINANCEIROS UNEM ESFORÇOS PARA DESENVOLVIMENTO DO SETOR PRIMÁRIO EM 2020



Foto: Divulgação/ Sepror


A Secretaria Estadual de Produção Rural (Sepror) realizou, nesta sexta-feira (10),   reuniões com agentes financeiros para dar os primeiros passos no planejamento dos trabalhos a serem desenvolvidos em 2020, com o objetivo de viabilizar novas maneiras de aumentar o incentivo à produção rural.

“Não há desenvolvimento se não houver investimento. O produtor só pode crescer se houver incentivo para que ele produza”, relatou o titular da Sepror, Petrucio Magalhães Júnior.

O primeiro encontro foi realizado no Banco da Amazônia (Basa), com o superintendente regional, André Luiz Rodrigues Vargas, que falou sobre a parceria que tem ajudado no crescimento do produtor e diminuído os índices de inadimplência, assim contribuindo para manter o crédito.

“Com a ajuda do Sistema Sepror, o Basa chegou a todos os municípios do Amazonas, até mesmo a lugares que não possuem a agência física”, disse André.

No Banco do Brasil, o secretário foi recebido pelo superintendente de Varejo Norte I, Alexandre Inácio de Azevedo, que elogiou a maneira como está sendo realizado o trabalho com os produtores e o convênio feito com o Instituto de Desenvolvimento Agropecuário Florestal Sustentável do Estado do Amazonas (Idam).

“Eu vejo 2020 muito mais próspero que 2019, ainda mais depois de conseguirmos o convênio com o Idam. Para nós é excelente o incentivo à agricultura familiar e temos interesse em evoluir ainda mais”, afirmou Alexandre.

Dentre os objetivos para este ano, o secretário assinalou que superar o PIB do agronegócio do ano passado está entre as prioridades. “Com as feiras foram movimentados R$ 18 milhões na capital e R$ 5 milhões no interior. Com o programa ‘Peixe no Prato’, foram comercializadas 12 toneladas de pescado, números que agradaram os investidores”, esclareu Petrucio.

Além disso, o Amazonas foi o estado que mais abriu mercado institucional da agricultura familiar no Brasil, com cerca de R$ 50 milhões por meio do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e mais de R$ 40 milhões na compra de produtos regionais por meio do Programa de Regionalização da Merenda Escolar (Preme). Esses números animam o setor produtivo em 2020.

A agenda de visitas com órgãos e agentes financeiros segue na próxima semana e deve fortalecer ainda mais as parcerias firmadas para 2020.





Nenhum comentário