últimas

ALEX PAZUELLO MONTA ESTÚDIO FOTOGRÁFICO COM PADRÃO INTERNACIONAL


ALEX PAZZUELO É FOTÓGRAFO OFICIAL DA SECRETARIA MUNICIPAL DE COMUNICAÇÃO
Após completar 30 anos de carreira em 2020, o consagrado fotógrafo amazonense Alex Pazuello inaugurou o próprio estúdio de fotografia. O “Stúdio AP” traz, a Manaus, soluções fotográficas em nível internacional, com todos os conceitos e técnicas adquiridas por Pazuello durante décadas trabalhando na fotografia publicitária.

O estúdio foi preparado para as novas produções do fotógrafo e fica localizado na avenida João Valério, bairro São Geraldo, Zona Centro-Sul. Alex conta que, há dois anos, compra a guarda e os equipamentos para realizar o grande sonho.

A ideia de Alex é diferente do mercado de publicidade tradicional da região. A proposta é um estúdio com soluções fotográficas com nível internacional e preços acessíveis. O momento é de coroar a carreira de 30 anos do consagrado fotógrafo amazonense, que declara não seguir padrões.Entusiasmado, Alex contou ao Portal EM TEMPO sobre a trajetória, desde o início da paixão pela fotografia, até o novo momento.
“Eu vi e senti que, nesta etapa da minha carreira, tudo estava culminando para a realização do meu sonho. Muitos dos materiais que estão no estúdio vieram de fora e serão o diferencial no meu trabalho. Fui lapidando esse desejo depois que fiz os 50 anos, no final de 2019, e agora, com 30 anos de carreira, estou carregado de experiências”, declarou Alex emocionado.
“A fotografia é vida”
Esta é a definição sobre a paixão que passa pelas veias e lentes. Aos 50 anos de idade, Alex é colecionador de momentos, experiências e olhares que só a fotografia pôde proporcionar. Desde criança, quando já trabalhava como office-boy na loja de eletrônicos dos pais, o fotógrafo já suspirava ao acompanhar os dois amigos, o Sampaio (Lula) e o César Oiticica (Cesinha) em suas aventuras de fotografar tudo e todos.

Ele conta que conseguiu a primeira câmera quando um turista esqueceu uma bolsa, com uma câmera dentro, na loja dos pais de Alex. Somente após dois anos, sem o dono voltar para buscar a câmera, o menino, que morou no bairro conjunto Adrianópolis, começou a desbravar o mundo da fotografia.
"Eu só lembro quando vi a bolsa com a máquina dentro.

Fiquei namorando a câmera uns dois anos, o dono da bolsa não voltou e pedi para minha mãe para ficar. O Sampaio e o Cesinha eram mais velhos que eu e a gente ia para Presidente Figueiredo fotografar", relembra Alex.

Em 1990, mudou-se para o Rio de Janeiro, fez faculdade de jornalismo e trabalhou como assistente, onde também desenvolveu a paixão pelo mundo publicitário. Ao todo, foram 15 anos com formação em estúdio fotográfico. Marcas consagradas como Coca-Cola e Budweiser foram produzidas com assistência de Alex.


Registro da passagem por aldeia em São Gabriel da Cachoeira, no AM
Registro da passagem por aldeia em São Gabriel da Cachoeira, no AM | Foto: Alex Pazuello
"A minha formação toda foi em estúdio. Fazíamos muitas capas de CD como da Beth Carvalho e dos Engenheiros do Havaí. Eu fui trabalhar com o Aírton Camargo e lá foi onde começou minha paixão pelo estúdio. A paixão se tornou um grande desejo de ser um fotógrafo publicitário", relembra.
Morou durante seis anos em Nova York para estudar fotografia na School of Visual Arts (S.V.A). Neste período trabalhou como assistente freelancer de vários fotógrafos e aprendeu a aplicação de diferentes técnicas e estilos de fotografia. Durante dois anos, trabalhou para o estúdio Hashi, um dos melhores fotógrafos publicitários do ramo. Ele brinca que Hashi foi uma espécie de grande mentor da carreira dele.
"Com ele aprendi alguns grandes segredos da publicidade. Ele era o 'Mestre Miyagi' e eu fui o pequeno 'Daniel Sam'. Nessa época usávamos as câmeras de grande formato. Ele me dava os desenhos e eu produzia o set do jeito que ele queria. Era algo muito cinematográfico e detalhista", conta Alex.


A foto faz parte do ensaio fotográfico que rendeu o prêmio de fotojornalismo
A foto faz parte do ensaio fotográfico que rendeu o prêmio de fotojornalismo | Foto: Alex Pazuello
Alex voltou para Manaus em 2004 com o forte desejo de ter o próprio estúdio, mas relembra que o mercado manauense não estava propício. Foi então que migrou para o fotojornalismo, onde permaneceu por três anos. Agora está realizando o grande sonho: ter o próprio estúdio.
Durante esta passagem pela redação, ganhou um importante prêmio: o Ayrton Senna de Fotojornalismo com o ensaio “Terra onde vivem os ancestrais”, produzido no município de São Gabriel da Cachoeira, distante 862 quilômetros de Manaus. "Eu migrei para o jornalismo e através da matéria com o Orlando Farias. Fui o único amazonense a ganhar esse prêmio", destacou.
Fotos eternizadas
Alex fez questão de mostrar as folhas da revista que guarda com carinho e apreço. As fotos de Xuxa Meneghel, enquanto comprava os itens do enxoval da filha Sasha Meneghel, em Nova York, ganharam destaque na publicação em 1996. Ele guarda o clique até hoje.


O espaço fica localizado na avenida João Valério, bairro São Geraldo, zona Centro-Sul.
O espaço fica localizado na avenida João Valério, bairro São Geraldo, zona Centro-Sul. | Foto: Alex Pazuello
"Um dia desses vendo a Sasha fiquei pensando: 'Nossa eu estou ficando velho'. A barriga da Xuxa não aparecia. Foi um dos primeiros trabalhos que guardo até hoje. Ela posou no momento em que estava comprando o enxoval da filha", disse com muito entusiasmo.

Para o futuro, pretende fazer workshops para ensinar os novos nomes na fotografia e construir um espaço reunindo as três paixões: cozinha, música e fotografia. As referências de Alex passam por diversas fronteiras, ele destaca o fotógrafo publicitário Kall Taylor, o fotógrafo Richard Avedon, e o brasileiro Adriano Fagundes, a quem acompanha o trabalho.
 MATÉRIA EXTRAÍDA DO PORTAL  EM TEMPO.

Nenhum comentário