últimas

‘MANAUS SOBREVIVERÁ’, DIZ ARTHUR, AO PREPARAR MEDIDAS ECONÔMICAS DEVIDO À COVID-19

Foto: Márcio James / Semcom
Para que a capital do Amazonas não tenha um impacto maior no cenário econômico e financeiro provocado pela pandemia do novo coronavírus, o prefeito Arthur Virgílio Neto determinou o acompanhamento diário por parte da equipe técnica da Prefeitura de Manaus. “Calculamos vários cenários, do menos duro ao mais grave, e digo com segurança que Manaus sobreviverá, porque temos uma boa gestão fiscal”, garantiu.

Em reunião realizada nesta quinta-feira, 19/3, na sede da prefeitura, zona Oeste, o chefe do Executivo municipal, acompanhado da presidente do Fundo Manaus Solidária, a primeira-dama Elisabeth Valeiko Ribeiro, e sua equipe econômica avaliaram os impactos que o vírus causador da Covid-19 vem provocando no mundo, como fechamento de lojas, mercados e outras atividades que movimentam o mercado interno do país, e afirmou que é hora corte de custeios, sem afetar investimentos importante.

“Na questão financeira, nós temos os problemas próprios do Brasil e temos os problemas extras criados pelo novo coronavírus. Precisamos enfrentar e vencer os dois, para manter os compromissos com Manaus em dia. A partir de hoje, a vigília é diária, as reuniões e os acompanhamentos dos números são diários também”, declarou o prefeito Arthur Neto.

Em meio à crise, que pode afetar a economia municipal, Arthur anuncia uma boa notícia para os servidores da Prefeitura de Manaus. Segundo estudos realizados pela equipe da Secretaria Municipal de Finanças e Tecnologia da Informação (Semef), a primeira parcela do décimo terceiro salário está garantida para a metade do ano e a arrecadação para o pagamento no mês de dezembro já está sendo feita.

“A vigilância tem que ser eterna, muitas medidas de corte e custeio serão tomadas, medidas de defesa da arrecadação, mas em meio a tudo isso temos a boa notícia para os servidores municipais de que já temos o recurso para pagar a primeira parcela do 13º salário. Somos a favor de reformas e somos a favor de que todos os esforços sejam realizados para garantir a segurança dos brasileiros em relação ao novo coronavírus, mas vamos garantir com honradez o compromisso com nosso povo”, destacou o prefeito.

Reorganização administrativa

Nas próximas semanas, o prefeito deve anunciar uma reorganização administrativa para redução de custeio no âmbito municipal. A medida foi vista como necessária para manter o equilíbrio fiscal da cidade. “Vamos ter que suar muito para sobreviver este ano, vamos cortar na carne e economizar tudo que é necessário. Eu não quero que o povo de Manaus tenha sofrimento extra, então vamos fazer isso para manter Manaus em pé”, adiantou Arthur Neto.

O impacto na arrecadação do município, por conta do novo coronavírus, pode chegar ao valor de R$ 500 milhões, segundo o secretário da Semef, Lourival Praia, que ressaltou a importância das medidas imediatas. “Vai ser difícil, vamos reunir com secretarias, analisar grandes contratos e despesas de custeio pessoal, para harmonizar as despesas da prefeitura e terminar o ano sem nenhum problema fiscal”, concluiu.

Nenhum comentário