últimas

CASOS DE DENGUE AUMENTAM EM MANAUS DURANTE PANDEMIA





Os casos confirmados de dengue cresceram mais de 200% na capital do Amazonas no comparativo dos primeiros semestres de 2020 e 2019. Para reforçar à população os cuidados necessários à prevenção da doença, em meio à pandemia do novo coronavírus, a Prefeitura de Manaus lançou esta semana uma campanha de combate ao mosquito aedes aegypti, que contam ainda com reforço de visitas domiciliares feitas pelos agentes da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa).

Somente no primeiro semestre de 2019, foram registrados 173 casos confirmados de dengue em Manaus. Já no mesmo período de 2020, a capital possui 525 confirmações, o que representa um aumento de 203,5% durante o inverno amazônico e o agravamento da pandemia do novo coronavírus, que teve seu pico nos meses de abril e maio.

Segundo a diretora do Departamento de Vigilância Ambiental e Epidemiológica (Devae/Semsa), a enfermeira Marinélia Ferreira, a campanha tem o intuito de sensibilizar os manauaras sobre a importância de manter os cuidados contra o mosquito. “Os criadouros geralmente ficam no ambiente familiar e se estamos passando mais tempo em casa, estamos mais expostos ainda. É um alerta para que a população se atente tanto à pandemia quanto aos demais perigos”, pontuou.

A campanha municipal de combate ao Aedes aegypti se alia às visitas domiciliares de agentes de endemia da Semsa. Nas ações, é feita a busca ativa de criadouros, além de orientações aos residentes das casas, com distribuição do check-list adesivo Dez Minutos Contra a Dengue. Com esse material afixado na parede de casa, os moradores podem realizar, a cada sete dias, vistorias em suas residências, seguindo a lista de locais com possibilidade de proliferação das larvas do mosquito. As visitas são feitas mantendo o distanciamento social.

Sintomas


Apesar das três doenças serem transmitidas pelo mesmo mosquito, há diferenças entre os sintomas que podem ajudar na distinção. A dengue costuma causar dor atrás dos olhos acompanhada de febre alta. A zika vírus desenvolve febre baixa, manchas na pele e coceira, sendo a doença mais relacionado a gestantes, pois causa microcefalia nos bebês. Já a chikungunya provoca dores em pulsos, mãos e tornozelos, acompanhada de inchaços e erupções na pele.

Em caso de sintomas, é muito importante que não se tome nenhum medicamento por conta própria. Se mantenha hidratado e procure uma unidade básica de saúde pois, nela, um profissional dará diagnóstico e a receita.

Focos de criadouros também podem ser denunciados pelo Disk-Saúde, no 0800 280 8280, de segunda a sexta-feira. Após o alerta, o município vai até o local para verificar se de fato existe o foco e, em caso de confirmação, é feita o controle químico com borrifação em um raio de nove quarteirões para conter o avanço do mosquito.

Nenhum comentário