últimas

TRT SUSPENDE SALÁRIO DE RAFAEL APÓS MORTE DE MISS E ESTUDA EXONERAÇÃO


Após confessar a autoria do feminicídio da Miss Manicoré Kimberly Karen Mota, o analista judiciário do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), Rafael Fernandes Rodrigues, teve o salário suspenso pelo órgão. O crime, que teve alta repercussão na imprensa, foi revelado no dia 12 de maio deste ano, após o encontro do corpo da jovem, no apartamento de Rafael, na avenida Joaquim Nabuco, no bairro Centro, na Zona Sul de Manaus. O TRT estuda ainda a exoneração de Rafael do cargo que ocupava.

Conforme o órgão, desde o dia 11 de maio deste ano, Rafael não recebe remuneração, em razão de não comparecer ao serviço. A determinação de suspensão do pagamento durará enquanto ele permanecer ausente, pois a contrapartida para o recebimento se baseia no exercício do cargo.

Já em relação ao processo de exoneração do cargo, a questão possui disciplina própria na Lei nº 8.112/90 e ainda será objeto de apreciação pelo TRT em Processo Administrativo Disciplinar (PAD), no momento oportuno, tendo em vista que o ato confessado por Rafael ainda não foi objeto de julgamento pelo Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas.

Ele atuava no cargo de Analista Judiciário desde outubro de 2017 e, antes do crime, havia se cadastrado no site da Associação dos Servidores da Justiça do Trabalho (Anajustra), para negociar transferência do Estado para outros TRTs. Na solicitação, Rafael justifica que a transferência seria por ‘’motivos familiares’’.

Com origem em Manaus, na 11ª Região do TRT, o servidor havia solicitado transferência para unidades do Sul ou Sudeste, incluindo diversos estados como São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Paraná, Santa Catarina e Espírito Santo.

Prisão

Rafael deixou o prédio da DEHS dia 17 de maio deste ano para aguardar julgamento em uma unidade prisional.

Desde o dia 17 de maio deste ano, Rafael está respondendo pela morte de Kimberly em uma unidade prisional da capital. Ele passou os primeiros 15 dias de prisão em uma enfermaria de uma unidade prisional, em isolamento social devido a pandemia do novo Coronavírus.

Conforme a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), atualmente Rafael está em uma cela comum com demais presos e não apresentou nenhuma crise. Como os outros detentos, ele recebe atendimento psicológico no local.

O Em Tempo tentou entrar em contato com os advogados de Rafael para saber informações do atual estado de saúde dele, mas desde o dia 23 de junho deste mês não obteve respostas. Além de contato telefônico, a reportagem também enviou e-mail.

Rafael deve continuar aguardando julgamento na unidade prisional em cumprimento ao mandado de prisão preventiva expedido em nome dele.

Confissão

Rafael e Kimberly namoraram por pelo menos dois meses.

Após uma fuga cinematográfica pelo estado de Roraima, Rafael confessou a autoria do assassinato de Kimberly e afirmou que decidiu matar a jovem após ver uma mensagem indesejada no celular dela.

"Fui à cozinha e escolhi a faca maior", declarou ele, sobre a arma utilizada para matar a vítima.

Ainda conforme ele, quando a jovem virou para conversar, a primeira facada foi dada no pescoço de Kimberly. A miss Manicoré, ao sentir o primeiro golpe, ainda tentou perguntou: "O que é isso?".

Logo em seguida, ele deu mais um golpe no pescoço e, em seguida, o terceiro na barriga da miss Manicoré, que já estava desacordada.

Após constatar que a vítima estava morta, Rafael ainda carregou o corpo da Miss Manicoré até o banheiro, onde lavou a vítima e depois fugiu.

Fonte: Em Tempo

Nenhum comentário