últimas

CAROL PINHEIRO DEFENDE A MORADIA E REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA PARA MANAUS


Pré Candidata à vereadora comenta a mudança do Minha Casa Minha Vida para o Casa Verde Amarela.

“Todo cidadão manauara, nascido ou de coração tem direito a uma moradia digna, o documento de sua casa, um título. Temos que regularizar para poder oferecer todos os serviços que estes cidadãos merecem.”

São com essas palavras que Carol Pinheiro, pré candidata à vereadora pelo PTB inicia sua conversa com muitos moradores das áreas de maior incidência de baixa renda na cidade de Manaus.

Com larga experiência em campo nas fiscalizações e prevenções de invasões, bem como documentação das terras de Manaus, Carol Pinheiro, corretora, apresenta sua bandeira em defesa da moradia social e políticas de habitação através da regularização fundiária como précandidata à vereadora nessas eleições.

Com o novo modelo de programa habitacional do Governo Federal anunciado nesta terça-feira (25) pelo Presidente Jair Bolsonaro (sem partido), batizado de Casa Verde Amarela, segundo Carol Pinheiro não substitui o seu antecessor, o conhecido Minha Casa Minha Vida, lançado em 2009 pelo ex Presidente Lula (PT).

Carol Pinheiro, como que defende a regularização fundiária como uma ordem para o progresso social e urbanístico da cidade, vê que há necessidade de transformar essa política pública conforme a realidade de cada cidade.

“Casa Verde Amarela não substitui, ele abrange e atinge diretamente os problemas que enfrentamos em Manaus, quando o programa antecessor beneficiava pessoas que seguiam para morar em áreas sem estrutura econômica, ocasionando o abandono e assim florescendo ocupações irregulares ao seu entorno, o Casa Verde Amarela ele busca construir novas moradias aos beneficiários concessionários e também aqueles que tem intenção no financiamento imobiliário buscando áreas mais centralizadas em grandes centros urbanos para povoar e regularizar as moradias”, Carol Pinheiro comenta.

Os juros das habitações e seus financiamentos na região Norte e Nordeste serão menores, isso significa que os problemas sociais terão mais chances de serem monitorados e enfim poder organizar através da regularização fundiária a cidade.

Compare as faixas de renda dos beneficiários:

 Minha Casa Minha Vida:

Faixa 1: Renda de até R$ 1,8 mil

Faixa 1,5: Renda de até R$ 2,6 mil
Faixa 2: Renda de até R$ 4 mil
Faixa 3: Renda de R$ 4 mil a R$ 7 mil

Pelo programa Minha Casa Minha Vida, as famílias com renda de até R$ 1,8 mil recebiam subsídios para a compra do imóvel. As prestações mensais variavam de R$ 80 a R$ 270.

 Casa Verde Amarela

Grupo 1: Renda de até R$ 2 mil
Grupo 2: Renda de R$ 2 mil a R$ 4 mil
Grupo 3: Renda de 4 mil a R$ 7 mil

Os beneficiários que estão no Grupo 1 terão compra subsidiada e financiada, regularização fundiária e melhora habitacional, segundo o novo programa.


Nenhum comentário