últimas

BOMBA: SAFADÃO DENUNCIA EX-MULHER MILEIDE MIHAILE



Aparentemente o embate entre Mileide Mihaile e o cantor Wesley Safadão – que se tornou um dos assuntos mais comentados anos atrás quando os dois se envolveram em diversas polêmicas e ela fez diversas acusações contra ele – ainda não terminou. 

A influenciadora digital e mãe do primogênito do cantor Wesley Safadão, está sendo investigada pelo delito previsto no artigo 232, da Lei 8.069/90 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA): “Submeter criança ou adolescente sob sua autoridade, guarda ou vigilância a vexame ou a constrangimento”, de acordo com a jornalista Fábia Oliveira, do jornal ‘O Dia’. 

Ainda de acordo com informações da colunista, Safadão teria entrado com uma notícia-crime contra a ex-mulher na Delegacia de Combate à Exploração da Criança e do Adolescente, alegando exposição do filho do ex-casal a um ambiente inapropriado para sua idade. 

Entre as acusações da defesa do cantor, ele teria alegado que a festa de Halloween promovida por Mileide, em outubro do ano passado, não era apropriada para menores de idade: “Não era, de forma alguma, apropriado para crianças, pois, além de estar sendo oferecida bebida alcoólica, estava tocando músicas de cunho pejorativo e danças sensuais – restando claramente que era um lugar para maiores de 18 anos, e não para menores incapazes”, diz um trecho da denúncia.

O documento ainda conta com fotos de convidados do evento dançando funk e de um carrinho de drinks, e diz pontua que o local “se tornou uma ameaça à integridade moral e psíquica do menino”. 

Ainda de acordo com informações da colunista, a notícia-crime ainda citaria as fantasias de Yhudy e Mileide (que se vestiram de Alerquina e Coringa) na ocasião. Na época, a fantasia havia gerado polêmica na internet, já que ambos apareciam segurando armas de brinquedo em um vídeo divulgado na época. 

O documento, então, ressalta o fato de a criança ter posado, na presença da mãe, com a arma de brinquedo, de forma a “insinuar que estava atirando em alguém”. Para a defesa do cantor, os fatos supostamente “violam frontalmente diversos preceitos e garantias previstas na Constituição Federal de 1998 e no Estatuto da Criança e do Adolescente”. 

A defesa do cantor ainda defende, segundo a jornalista, que o cantor não teria se oposto a festividade se ela “tivesse ocorrido dentro dos limites razoáveis para uma festa direcionada a crianças, afinal, seu filho tem todo o direito de se divertir e festejar com os amigos, desde que seja um ambiente tranquilo e saudável para o seu desenvolvimento”. 

O documento ainda reúne depoimentos das partes envolvidas, incluindo o do filho do ex-casal, que chegou a ser enviado ao Juizado Especial Criminal. Os depoimentos agora estão nas mãos do juiz para agendar audiência preliminar, na tentativa de transação penal – uma espécie de conciliação entre o Ministério Público e Mileide. 

Caso esta conciliação seja concretizada, a pena, que é de detenção de seis meses a dois anos, poderá ser convertida em penas alternativas, que não impliquem em privação de liberdade, como multa ou prestação de serviço comunitário por exemplo. 

Procurada pela referida coluna para se pronunciar sobre o caso, Mileide não respondeu as tentativas de contato.

Nenhum comentário