últimas

GOVERNADOR ASSINA ORDEM DE SERVIÇO PARA MANUTENÇÃO DA BR-319








O governador do Amazonas, Wilson Lima, e o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, estiveram, neste sábado (03), no município de Humaitá (a 590 quilômetros de Manaus), onde foi assinada a ordem de serviço para a manutenção de três segmentos da BR-319 (Manaus-Porto Velho). O compromisso foi assumido pelo Governo Federal para garantir boas condições de trafegabilidade na rodovia durante todo o ano.
“Nós temos um ministro comprometido com a nossa região, alguém que conhece muito bem os estados que envolvem a BR-319 e um presidente que tem vontade política em fazer com que, efetivamente, a BR seja pavimentada. Nós já temos avanços significativos”, ressaltou Wilson Lima.

O governador e a comitiva federal visitaram o distrito de Realidade (a 67 quilômetros de Humaitá) e vistoriaram trechos da BR-319, que está recebendo serviços de pavimentação.

“Lá pudemos presenciar tudo o que está acontecendo, com uma manutenção de parte do meião, como nunca tinha sido feita antes. Estamos torcendo para que, com a maior brevidade possível, o Ibama possa liberar as licenças ambientais. Há, inclusive, esse compromisso do Ibama, de que daqui a quatro, cinco anos, a gente tenha uma BR toda pavimentada”, enfatizou o governador do Amazonas.

A manutenção abrangerá 254,20 quilômetros de rodovia, que vão passar por serviços de conservação e recuperação. As obras incluem o lote C (Charlie), que vai do Km 198,9 ao Km 250,7, objeto de uma licitação em andamento no Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT) para a reconstrução desse trecho. Parte do chamado “trecho do meio”, que vai do Km 250 ao Km 656, também está contemplada nesses contratos de manutenção.

“Pavimentar a 319 é garantir o direito de ir e vir, é integrar a região Norte com o resto do Brasil. Uma das primeiras reuniões que fizemos no Ministério foi com os governadores dos estados do Norte, Roraima, Rondônia, Acre, Amazonas e com as bancadas federais, cobrando BR-319. E naquele dia estabelecemos um compromisso e colocamos os passos que daríamos, como seria a estratégia, e nós estamos cumprindo passo a passo”, pontuou o ministro Tarcísio de Freitas.

Ainda em Humaitá, o governador Wilson Lima acompanhou o ministro da Infraestrutura na vistoria às obras de dragagem no rio Madeira.

Esse é o quarto ano de execução do contrato, que está em andamento desde 2017. O serviço está previsto para ser finalizado em outubro, quando encerra o período de estiagem. A dragagem visa garantir a navegação segura das embarcações no rio Madeira, contribuindo para o escoamento de produtos e o abastecimento de insumos para as regiões Norte e Centro-Oeste do país.

As obras foram divididas em três lotes. O primeiro possui 82,20 quilômetros de extensão e vai do Km 178,50 (rio Tupãna) até o Km 260,7 (início da travessia do rio Igapó Açu). O segundo lote vai do Km 261,10 (fim da travessia do rio Igapó Açu) até o Km 346,20 (entroncamento com a BR-174 e a rodovia estadual AM-364), totalizando 85,10 quilômetros de extensão. O terceiro lote tem 86,90 quilômetros de extensão e vai do entroncamento da BR-174 com a AM-364 (Km 346,20) até o Igarapé Caetano (Km 433,10).

Os principais serviços a serem executados são: recomposição do revestimento primário da pista, com adição de cimento, areia e brita; recomposição mecanizada de aterro para elevação do corpo estradal (nos segmentos críticos); e colocação de pedra rachão nos segmentos críticos para evitar pontos de atoleiros durante o período chuvoso.

Também será realizada a limpeza e desobstrução de dispositivos de drenagem e execução e recuperação de valetas laterais para drenagem. Em todo o segmento, as pontes de madeira passarão por serviços de manutenção/recuperação.

Pavimentada em 1976, a BR-319 liga Manaus (AM) e Porto Velho (RO), totalizando 877,70 quilômetros de extensão. Além de integrar os dois estados ao restante do país por via rodoviária, a rodovia permite, ao longo de seu percurso, o acesso a diversas cidades, como Humaitá, Lábrea e Manicoré, sendo fundamental para o desenvolvimento econômico e social da região.

Nenhum comentário