Aconteceu!

DAVID ALMEIDA CHAMA PEDIDO DE 'PRISÃO ILEGAL E ARBITRÁRIA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO AM.'

 

No fim da tarde desta quarta-feira (27), o prefeito de Manaus David Almeida divulgou nota criticando a ação do Ministério Público do Amazonas (MP-AM) que pediu a prisão preventiva dele e da secretária de Saúde, Shadia Fraxe, por supostas irregularidades no processo de vacinação contra a Covid-19 em Manaus.

De forma dura, David afirma na nota: “profundamente indignado com a atuação ilegal e arbitrária de membros do Grupo de Atuação e Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Amazonas (MP-AM), em descompasso com o histórico de atuação institucional do Parquet”.

Na texto o prefeito de Manaus destaca que “ingressará com as medidas cabíveis contra os responsáveis”.

Lei a nota na íntegra:

O prefeito de Manaus, David Almeida, profundamente indignado com a atuação ilegal e arbitrária de membros do Grupo de Atuação e Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do Amazonas (MP-AM), em descompasso com o histórico de atuação institucional do Parquet, informa que ingressará com as medidas cabíveis contra os responsáveis. A medida cautelar foi rejeitada pelo Poder Judiciário estadual, de forma correta, principalmente por não ter havido qualquer ato realizado pelo Prefeito.


Além disso, não há o menor indício de desvio de recursos públicos, ato lesivo ao erário ou repercussão criminal.

Reitera a confiança no Poder Judiciário, nas instituições e na gestão transparente da cidade de Manaus.

Segundo o Ministério Público, essa ação sobre o episódio, é uma representação criminal, por conta da suspeita de fraude na prioridade que deveria ser dada aos profissionais de saúde e indígenas. Há também suspeita de desvio de doses da vacina Coronavac.

Além disso, a titular da Semsa encaminhou ao prefeito a contratação de dez médicos, com salário de R$ 9 mil. Só que, ao invés de encaminhados para o combate ao coronavírus, todos foram nomeados como gerentes de projetos. Isso foi considerada como falsa declaração de Almeida.


* AMAZONAS NOTÍCIAS

Nenhum comentário