Aconteceu!

UBS PARA PACIENTES COM SINTOMAS DE COVID TEM AGLOMERAÇÃO DE PESSOAS EM MANAUS

 

UBS Leonor de Freitas tem aglomeração de pessoas — Foto: Paulo Paixão/Rede Amazônica


O aumento de casos de Covid-19 no Amazonas intensificou a movimentação nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Manaus. A orientação do governo é que pacientes com suspeita da doença, apresentando sintomas leves, procurem inicialmente as UBSs para não prejudicar o atendimento de pacientes graves em hospitais.

Porém, muitas pessoas reclamam que buscam atendimento e não conseguem. Na manhã desta terça-feira (4), havia uma aglomeração de pessoas em frente à UBS Leonor de Freitas, na Zona Oeste. 

Na fila para tentar ser atendido por um médico, o pedreiro Lázaro Pontes, de 52 anos, reclamou que já tinha peregrinado por outros lugares em busca de ajuda. ""Eu estou com uma alergia no meu corpo, procurei atendimento de referência no (Fundação) Alfredo da Mata, no (pronto-atendimento) Joventina Dias e aqui na UBS Leonor de Freitas e não consegui atendimento, mesmo quando eu estava com sintomas de Covid-19 ", lamentou.

A auxiliar de serviços gerais Simone Maciel, de 45 anos, até conseguiu uma consulta para o filho, mas saiu do local sem os medicamentos receitados pelo médico. "Aqui não tem remédios para Covid-19. Esse é que é o problema. Meu filho foi diagnosticado, mas nos não conseguimos remédio na farmácia dessa UBS. A vitamina mais barata custa R$30,00 e tem muita gente desempregada", disse.

Novo recorde

Amazonas registrou, na segunda-feira (4), o maior número de novas internações por Covid-19 desde o início da pandemia: foram 183 pessoas hospitalizadas com a doença apenas nesta segunda. Em Manaus, onde o número de internações já havia superado os registros de abril e maio (quando houve colapso na saúde), também houve um novo pico nesta segunda: 177 novos hospitalizados.

Com mais de mil pessoas internadas com Covid-19 e registros recordes de novas internações, o Amazonas entrou na fase roxa na pandemia, que representa alto risco, de acordo com a Fundação de Vigilância em Saúde (FVS).

UBS Leonor de Freitas em Manaus — Foto: Paulo Paixão/Rede Amazônica




G1*

Nenhum comentário