Aconteceu!

SENADOR OMAR AZIZ SUGERE CRIAÇÃO DE CENTROS DE REABILITAÇÃO PARA TRATAR PACIENTES COM SEQUELAS DE COVID-19

 


O parlamentar criticou, ainda, o governo federal pela demora no envio de vacinas ao Amazonas, que em fevereiro anunciou iniciar antecipadamente a imunização de pessoas acima de 50 anos no Estado  


A criação de Centros de Reabilitação para tratar pacientes com sequelas do coronavírus foi sugerida, na manhã desta quinta-feira, 11, pelo senador Omar Aziz (PSD-AM), durante reunião virtual da Comissão Temporária da Covid-19 do Senado com governadores. O parlamentar criticou, ainda, o governo federal pela demora no envio de vacinas ao Amazonas, que em fevereiro anunciou iniciar antecipadamente a imunização de pessoas acima de 50 anos no Estado, conforme anúncio feito à época pelo Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, o que continua sem previsão.

O presidente da Comissão Temporária da Covid-19, senador Confúcio Moura (MDB-RO), juntamente com o relator, senador Wellington Fagundes (PL-MT), falaram aos governadores e demais parlamentares sobre o ritmo da vacinação, colapso do sistema de saúde e plano de trabalho. A comissão também terá reuniões com os ministros da Saúde, general Eduardo Pazuello, da Economia, Paulo Guedes, e das Relações Exteriores, Ernesto Araújo.

Até esta quarta-feira, 10/03, o Brasil havia registrado mais de 11,2 milhões de casos de Covid, que levaram a 270 mil óbitos. No Amazonas, foram 327,5 mil acometidos pelo vírus, dos quais 11,3 mil morreram, uma taxa de letalidade de 3,5%, superior à nacional de 2,4%.

Além da preocupação com o elevado número de perdas, Omar destacou a importância dos Estados estarem preparados para dar suporte na reabilitação de pacientes, que ficaram com sequelas do coronavírus.  De acordo com o parlamentar, é determinante que o governo federal e legislativo crie condições para que governos e prefeituras possam criar Centros de Reabilitação para tratamento de pessoas com implicações na saúde, devido à Covid-19.

“As sequelas são terríveis e o povo não tem condições de pagar fisioterapeuta, de pagar psicólogo. Quantas pessoas  estão com problemas neurológicos hoje por causa dessa doença, no Brasil afora? Quantas pessoas estão com problemas pulmonares por causa dessa doença? Quantas pessoas vão ter que fazer hemodiálise o resto da vida? Se (essas pessoas) não forem tratadas, se tornará irreversível e isso trará também um problema muito grande para a saúde e para a gestão dos governadores e prefeitos dos diversos estados brasileiros. É importante esta comissão criar condições para que os Estados possam criar Centros de Reabilitação para essas pessoas”, frisou.

Cobrança

Omar aproveitou o encontro para cobrar as doses de vacina anunciadas pelo ministro da saúde, Eduardo Pazuello, em fevereiro, durante sessão do Senado Federal, para antecipar a vacinação de pessoas a partir de 50 anos, no Amazonas. O senador enfatizou as 2,3 mil mortes por Covid, de quarta-feira, 10/03, no país. “A saída realmente é a vacina que é quase que unanimidade no Brasil. Infelizmente, o negacionismo, a falta de visão nos levaram a esse caos (que vivemos hoje no Brasil). O ministro Pazuello nos enganou no Estado do Amazonas, prometeu que (em fevereiro) todas as pessoas acima de 50 anos seriam vacinadas e até hoje estamos esperando essas vacinas. Não chegaram essas vacinas. O que o Ministério da Saúde não pode criar uma expectativa e não cumprir”.

O governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), que também participou da reunião, afirmou que a vacinação precisa ser uma estratégia nacional e entrar no plano nacional de imunização. Ele explicou que mesmo com a redução de casos e internações no Estado ainda não é possível prever como se comportará o vírus nos próximos meses.

“O senador Omar Aziz tem nos ajudado muito nessa interlocução nacional junto com outros parlamentares, junto com outras instituições para que possamos superar esse momento tão difícil de pandemia. Ainda não sabemos o que acontecerá no futuro em relação ao comportamento do vírus. Então, há a necessidade da gente vacinar com maior rapidez possível. Não queremos vacina de graça, a gente compra, porque a gente entende a real necessidade que o país tem de receber a vacinação, entendendo que essa tem que ser uma estratégia nacional, que tem que entrar no plano nacional de imunização, disso nós não abrimos mão, até para não causar um desequilíbrio no país”, pontuou.


Foto: Ariel Costa


Nenhum comentário