últimas

EM MANAUS, ESCOLA ESTADUAL CRIA VÍDEOS PARA EXPLICAR A ROTINA DOS PROTOCOLOS DE SAÚDE AOS PAIS E ALUNOS




Eeti Santa Terezinha encontrou alternativas para aproximar e orientar estudantes do 1º ao 5º ano sobre as principais medidas de segurança


Os pais, responsáveis e estudantes do ensino fundamental da Escola Estadual de Tempo Integral (Eeti) Santa Terezinha, na zona do centro-sul de Manaus, tiveram, na quarta-feira (30), acesso a vídeos e orientações sobre como os protocolos de segurança em saúde devem ser aplicados, dentro e fora das salas de aula. A escola atende 150 crianças, do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental, e foi uma das 107 unidades escolares que retomaram as atividades presenciais, nesta semana.

Pelos corredores, vários cartazes estampam frases e desenhos sobre o que deve ser feito para evitar o contágio da Covid-19. Além disso, para criar uma proximidade e familiaridade com o público específico da escola, a equipe de gestão escolar desenvolveu orientações, via audiovisual, para auxiliar os estudantes a seguirem os procedimentos e, consequentemente, tranquilizar os pais ou responsáveis sobre as condutas adotadas durante o retorno presencial.

De acordo com a gestora da unidade, Simone Costa, a gestão escolar buscou conduzir a volta às aulas presenciais de forma responsável. “Aqui, na escola, nós lidamos com alunos de 5 a 11 anos e, por isso resolvemos criar este vídeo para orientá-los de forma mais simples sobre o uso do álcool gel, o distanciamento correto e, também, o cotidiano da escola, desde a entrada até o lanche e a saída dos estudantes”, explicou.

A ideia é tornar esse momento de cuidado em algo rotineiro e simples, para que, aos poucos, os alunos consigam realizar todos os protocolos de forma espontânea.

O estudante João Guilherme, de 11 anos, explica que estava ansioso para voltar à escola e que é muito importante que os professores realizem essas ações, para deixá-lo alerta com relação aos protocolos. “Eu estava com muita saudade da escola, e agora está sendo uma nova experiência. A gente precisa tomar mais cuidados com nós mesmos e com as pessoas que estão em casa, como seguir com o uso do álcool gel e da máscara”, conta.


Já a aluna Fernanda Santos, de 10 anos, descreve o primeiro dia de retorno como um dia de adaptações. “A princípio, foi estranho, mas estou me adaptando a essa nova rotina. Em casa, meus pais me orientaram, e minha mãe sempre põe álcool gel na minha bolsa, assim como máscara. Já me acostumei, sempre quando toco em algo, a lavar as mãos e a manter todos os cuidados”, disse.

Transmissão simultânea 

Outra iniciativa realizada pela unidade escolar é a transmissão simultânea das aulas aos estudantes que estarão acompanhando o “Aula em Casa”. O objetivo é que todos os alunos, mesmo aqueles que estarão acompanhando as aulas remotamente, possam ter acesso aos conteúdos inéditos.

“A partir do planejamento dos nosso professores, vimos a possibilidade de realizar a transmissão ao vivo das aulas. Desta forma, todos os estudantes terão acesso ao conteúdo inédito simultaneamente”, finaliza.

Já na próxima semana, será possível acompanhar a transmissão simultânea. As aulas acontecerão via aplicativo Meet e serão conduzidas pelos professores da unidade, com o acompanhamento de outros servidores da escola.

Procedimentos

 Ainda na entrada da escola, os alunos têm suas temperaturas corporais aferidas, e os que registrarem acima de 37,5ºC são encaminhados por um funcionário para aplicação do protocolo de segurança – que consiste em isolar o estudante dos demais e acionar os pais ou responsáveis. Os que apresentarem abaixo de 37,5ºC são liberados para a próxima etapa, a higienização correta das mãos.

Para isso, eles se utilizam das pias e dispositivos de álcool gel e sabão, instalados previamente pela Secretaria de Educação. Após esse procedimento, então, os alunos seguem para a sala de aula, respeitando o distanciamento mínimo entre os colegas.

Professora de Libras, Débora Vale afirma que o corpo docente está preparado para receber os estudantes e que que acredita que os procedimentos serão obedecidos por eles. “É claro que temos receio, mas nos preparamos de forma adequada para que todas as ações sejam em prol de manter a saúde dos nossos alunos. Além disso, cada aluno recebe as orientações específicas sobre os mecanismos adotados”, reitera.

Nenhum comentário