últimas

EM NOVE MESES, SEJUSC ENTREGOU MAIS DE 600 CADEIRAS DE RODAS PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

Benefício é gratuito e pode ser solicitado no Núcleo PcD, sendo que as cadeiras são preparadas seguindo processo de medição e análise social

A Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), por meio do Núcleo da Pessoa com Deficiência (PcD), entregou 606 cadeiras de rodas no período de janeiro a setembro de 2020. O auxílio ao equipamento é gratuito e designado a pessoas com deficiência física do Amazonas que apresentam baixa renda. 

O processo acontece após a solicitação no setor de análise social do Núcleo PcD. O espaço fica localizado na rua salvador, nº 456, bairro Adrianópolis, zona centro-sul de Manaus. Lá, o beneficiário ou responsável deve apresentar todos os documentos em cópia: RG, CPF, comprovante de residência, cartão do SUS e laudo médico. Em seguida, acontece o processo de medição, que consiste em uma vistoria das medidas do solicitante. Este processo define qual tipo de cadeira será disponibilizada.

O secretário William Abreu, titular da Sejusc, reforça que, muitas vezes, a família não tem condições de fazer o cadastro no Núcleo PcD e, por isso, existe uma equipe preparada para realizar a visita domiciliar. Na visita, comparece um fisioterapeuta e uma assistente social da Sejusc, esta última responsável por fazer uma análise das condições do beneficiário. 

Acesso ao benefício

-O fisioterapeuta do Núcleo PcD, Reginaldo Lima, acompanha todas as visitas, além de ser o responsável pela medição. O processo consiste basicamente em um “checklist” (lista de verificação), coletando dados como o nome do beneficiário, o responsável, endereço, contato e também as medições do corpo da pessoa com deficiência. O setor de benefício trabalha com quatro tipos de cadeiras: posturais, universais, monobloco e a dinâmica infantil.

“A partir do processo de medição, é realizada a entrega, sendo de extrema importância a cadeira de rodas para o PcD, uma vez que existem tamanhos e deficiências variadas, podendo ser paraplégicas, deficientes cerebrais, pessoas hidrocefálicas, além das que sofreram algum acidente com arma de fogo, ficando sem movimento nos membros superiores ou inferiores”, disse o fisioterapeuta. 

Durante a visita domiciliar, além do processo de medição, é verificado se o PcD está com os documentos pessoais em boas condições. Sobre isso, a assistente social Elizete Afonso explica que o procedimento também favorece o PcD, tendo em vista que ele tem acesso a outros benefícios. “Verificamos se os direitos desse PcD estão sendo violados, se ele tem o Benefício de Prestação Continuada, no qual é um salário mínimo que deve ser recebido todo mês. Se não tiver, ele vai ser orientado sobre como que ele pode estar buscando esse benefício, reunindo os documentos necessários”, destacou.

Melhoria 

 A dona de casa Graciete Marques é mãe de Luan Marques, 18, que possui paralisia cerebral e foi beneficiado com a cadeira. Ela afirma viver integralmente para cuidar do jovem, contando com a ajuda de outros filhos para dividir as tarefas da casa. Para Graciete, o equipamento vai trazer mais comodidade.

“Eu fico muito feliz. Vai ser uma cadeira específica para o corpo dele, o ajudará na locomoção, vou conseguir andar e passear com ele. Sem a cadeira de rodas andava com o Luan o tempo todo no colo. Os benefícios oferecidos serão inúmeros”, afirmou.


FOTO: Divulgação

Nenhum comentário