Aconteceu!

‘É TEMPO DE TRANSFORMAR CONHECIMENTO EM AÇÃO’ É O TEMA DE CAMPANHA NESTE ANO NA FEAPAES AM

 

Divulgação

A Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla é uma campanha realizada todos os ano, todo o BRASIL, simultâneamente,  entre os dias 21 e 28 de agosto, pela Federação Nacional das Apaes, desde 1963.   E assim como a Federação Nacional,  também a Federação das APAES do Estado do Amazonas(FEAPAES AM) , desenvolve diversas atividades, em âmbito local, com o objetivo de fortalecer o trabalho já realizado e  principalmente divulgar conhecimentos sobre as condições sociais das pessoas em situação de deficiência intelectual e múltipla, como meio de transformação da realidade, superando as barreiras que as impedem de participar coletivamente em igualdade de condições com as demais pessoas.


A data foi introduzida no calendário nacional pela Lei 13.585/2017 e a campanha permeia os trabalhos desenvolvidos pela instituição ao longo de todo o ano, como instrumento de defesa e garantia de direitos e mobilização social.   Anualmente um novo tema é definido,  assim como os objetivos, que buscam conscientizar a sociedade acerca de determinadas necessidades para inclusão plena.

Autonomia, protagonismo e independência, têm sido conceitos recorrentes às campanhas,  importante ferramenta  para a promoção de uma atitude de eminência para com a pessoa em situação de deficiência intelectual múltipla em diversos campos da vida.

O tema para este ano é:  ‘É tempo de transformar conhecimento em ação’.


Esse tema aponta para o fato de que hoje o Brasil tem uma das legislações mais avançadas do mundo no que se refere à garantia de direitos das pessoas em situação de deficiência, no entanto, na prática, a maior parte do que se assegura na lei não é acessível a todos.

Em um país com dimensões territoriais de continente, as desigualdades das condições de vida são evidentes, bem como a marginalização social de determinados grupos, que por sua condição de vulnerabilidade, necessitam de apoios especializados para superação das barreiras que impedem o exercício pleno da sua cidadania.

Neste ano, nos propomos a provocar o debate nacional levando às pessoas em situação de deficiência intelectual e múltipla conhecimento sobre os seus direitos, a partir de conteúdos acessíveis sobre transporte, moradia, acesso à educação, saúde e assistência social, pensando em como assegurar que esses direitos se efetivem na vida diária.

No Amazonas, as 16 entidades irão participar do evento mais importante do ano, a Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla.

SOCORRO GIL – PRESIDENTE DA FEDERAÇÃO DAS APAES DO AMAZONAS

Socorro Gil se tornou Presidente da APAE Tefé e depois da Federação das Apaes do Amazonas. “Com o amor da família, todos somos capazes !”

A presidente da Federação das APAES do AMAZONAS, SOCORRO GIL,  acredita que a Semana Nacional  da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla 2021 é , ao mesmo tempo um grande desafio e oportunidade. De acordo com a dirigente, as dificuldades logísticas e de comunicação no Amazonas por conta das grandes distancias, exige dos amazonenses um pouco mais de esforço, sem no entanto desmotivá-los.

Filha do município de Tefé, Socorro Gil, hoje aos 60 anos, iniciou o trabalho na APAE em 1995, em sua cidade, onde se tornou a primeira presidente da instituição tefeense, um feito que para muitos que a viram criança, de longe, seria impossível.  Mas dentro da casa de Dona Auzira, a mãe, nunca houve duvidas da capacidade da filha.   Com limitações física de nascença, Socorro Gil superou todos os obstáculos a ela impostos. E com a ajuda da família, mostrou a todos que SEMPRE é possível quando há AMOR envolvido. “Eu sou aprova de que com apoio da família todas as pessoas com alguma limitação conseguem se superar,  atuar e ser  protagonista na sociedade. É isso que precisamos mostrar a todos, desmistificar o que separa e incentivar as ações que fortalecem e encorajam”, revela Socorro.

E se o Brasil é um país com dimensões continentais, as desigualdades das condições de vida são evidentes, assim como a marginalização social de grupos vulneráveis,  que porem,  necessitam de apoios especializados para superação das barreiras que impedem o exercício pleno da sua cidadania.

O assunto deve ser debatido nacionalmente, levando às pessoas em situação de deficiência intelectual e múltipla,  conhecimentos sobre os seus direitos, a partir de conteúdos acessíveis sobre transporte, moradia, acesso à educação, saúde e assistência social, contribuindo assim para a efetivação dos MUITOS DIREITOS, ja conquistados , no cotidiano brasileiro.

Nenhum comentário