Aconteceu!

EXPOSIÇÃO VIRTUAL APRESENTA PEIXES NATIVOS DA AMAZÔNIA E PORTAS ABERTAS A LABORATÓRIOS

 

FOTOS: Érico Xavier/Fapeam

Aquários com peixes ornamentais e de criação, como matrinxã, tambaqui e pirarucu, fazem parte da exposição virtual da 18ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT), do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa), em parceria com Universidade Nilton Lins. O evento, apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam), iniciou no dia 8 de setembro e segue até hoje (24/09).

Com o tema ‘Popularização do conhecimento científico sobre a produção de peixes nativos da Amazônia’, as atividades são on-line, com transmissão no canal do YouTube da ‘Aquicultura na Amazônia Ocidental’. Uma delas é o ‘Portas Abertas’, com a apresentação das pesquisas desenvolvidas nos laboratórios de Fisiologia Aplicada à Piscicultura e no de Nutrição de Peixes do Inpa, além dos laboratórios de pesquisa da Universidade Nilton Lins.

A coordenadora do evento, a pesquisadora do Inpa, Elizabeth Gusmão, destacou as atividades desenvolvidas na ação, entre as quais, a ‘Tenda da Ciência’, com exposições das espécies de peixes em aquário; jogos interativos; exposição de couros de peixe (bolsas e acessórios); apresentações dentro do laboratório, além das amostras dos equipamentos mais modernos e das atividades de pesquisas nas áreas da sanidade, nutrição, fisiologia e produção.

Segundo Elizabeth, o Amazonas é o maior exportador de espécies de peixes ornamentais do país. A captura desses peixes está cada vez diminuindo, porém, por outro lado, a aquicultura e a produção em sistema de cultivo vêm aumentando. “Por meio das tecnologias aquícolas é possível fazer preservação. Esse processo já vem sendo realizado com algumas espécies que estão em risco de extinção”, disse.

Parceria - O evento conta ainda com a parceria do Instituto Federal do Amazonas (Ifam) dos municípios de Maués, Parintins e Campus Manaus Zona Leste; assim como da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) de Itacoatiara; e da Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA), em Santarém.

Elizabeth destacou o apoio da Fapeam como instrumento fundamental para as atividades desenvolvidas. “A Fapeam, por meio do Edital do Programa de Apoio à Popularização da Ciência, Tecnologia e Inovação (POP CT&I), tem sido essencial para divulgar as nossas atividades para a sociedade, proporcionando oportunidades, seja por meio do conhecimento das pesquisas, ou pela capacitação de profissionais em todo o estado do Amazonas”, ressaltou a coordenadora, ao destacar, ainda, que a aquicultura precisa de mais parceiros nas pesquisas.

Nenhum comentário