Aconteceu!

MINISTRO DA SAÚDE DIZ QUE BRASIL LIDERARÁ VACINAÇÃO INFANTIL

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse que o Brasil irá liderar a vacinação global de crianças contra a covid-19. A declaração foi feita nesta terça-feira (11/1).

Com a capacidade do nosso sistema de saúde em breve nós vamos liderar o ranking desse tipo de vacinação”, afirmou Queiroga.

No final de 2021, ele chegou a dizer que a imunização infantil não era prioridade. “Tenho mais preocupação com a aplicação de 2ª dose e 3ª dose do que com a vacinação em criança”, declarou em 18 de dezembro.

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou em 16 de dezembro a aplicação da vacina da Pfizer em crianças de 5 a 11 anos. O governo demorou 3 semanas para liberar o grupo para receber o imunizante –só em 5 de janeiro.

A faixa etária ainda espera a chegada das doses pediátricas no Brasil. O 1º lote está programado para pousar no país na quinta-feira (13/1). O ministério prevê que as crianças comecem a ser vacinadas na sexta-feira (14/1).

Cautela sobre vacinação infantil

O presidente Jair Bolsonaro (PL) critica a imunização em crianças, sugerindo que não seja segura. Em 5 de janeiro, quando a pasta liberou a vacinação infantil, Queiroga se recusou a orientar –ou desorientar– a imunização do grupo.

Eu orientaria ao pai que procurasse o médico da sua confiança para ele passar todas as informações”, disse ao ser questionado por jornalistas sobre qual recomendação daria a um pai em dúvida sobre vacinar seus filhos.


Demandas

O Ministério da Saúde encomendou 20 milhões de doses pediátricas da Pfizer para o 1º trimestre. Queiroga disse que novas solicitações de vacinas dependeria da demanda dos pais em vacinar seus filhos.

Há 20,5 milhões de crianças de 5 a 11 anos no Brasil, segundo cálculo do IBGE. É necessário o dobro de doses (41 milhões) para vacinar todas elas. Cada criança receberá 2 injeções com intervalo de 8 semanas.


CoronaVac em crianças

Queiroga também falou sobre a possibilidade do uso da vacina CoronaVac em crianças. “Se a Anvisa aprovar o Ministério da Saúde vai analisar as condições dessa aprovação e, como de costume, liberar esses imunizantes para população brasileira”, disse.

A Anvisa está analisando o uso da CoronaVac em crianças e adolescentes. O imunizante da Pfizer é o único liberado para esses grupos no Brasil.

A agência realizou na sexta-feira passada (7/1) uma reunião com o Instituto Butantan sobre o pedido de uso da CoronaVac para pessoas de 3 a 17 anos.

A Anvisa pediu ao Butantan em 21 de dezembro mais dados para avaliação da aplicação. Foi a 2ª vez que o instituto solicitou à agência o uso do imunizante para a faixa etária.

Em agosto, a Anvisa rejeitou o 1º pedido do Butantan para aplicação da CoronaVac na faixa etária. Na época, o órgão considerou que os dados clínicos apresentados foram insuficientes para assegurar a eficácia e segurança da vacina na população pediátrica.


Lança programas de bolsas

Os ministérios da Saúde e da Educação lançaram nesta terça-feira (11.jan) a 10ª edição do Programa de Educação pelo Trabalho para a Saúde. A expectativa de investimento é de R$ 49,7 milhões. O programa interministerial prevê incluir 120 projetos, totalizando até 7.500 bolsistas. Durará 12 meses.

Com informações via Poder360

Nenhum comentário