TCE

TCE

Aconteceu!

BENTO 16 PEDE PERDÃO POR VIOLÊNCIA SEXUAL COMETIDA POR INTEGRANTES DA IGREJA CATÓLICA

 

(crédito: Vincenzo Pinto/AFP)

Em carta divulgada pelo Vaticano, ontem, o papa emérito Bento 16 pediu perdão pela violência sexual cometida por integrantes da Igreja Católica, mas negou ter acobertado religiosos que praticado esses abusos. "Só posso expressar a todas as vítimas de abusos sexuais minha profunda vergonha, minha grande dor e meu sincero pedido de perdão", escreveu o papa emérito, que, há três semanas, foi acusado de inação diante de casos ocorridos no arcebispado de Munique e Freising, na Alemanha.

"Em todos os meus encontros com vítimas de abusos sexuais por parte de padres (…), percebi em seus olhos as consequências de uma grande culpa e aprendi a entender que nós mesmos caímos dentro desta grande culpa quando a negligenciamos ou quando não a enfrentamos com a decisão e responsabilidade necessárias, como já aconteceu e acontece muitas vezes", afirmou na carta.

O papa emérito destacou que nunca acobertou episódios de abusos quando tinha "grandes responsabilidades na Igreja Católica". O cardeal Joseph Ratzinger foi arcebispo de Munique de 1977 a 1982. Tornou-se papa, sob o nome de Bento 16, em 2005. Oito anos depois, renunciou ao pontificado.

"Maior é minha dor pelos abusos e erros que aconteceram durante o tempo de minha missão nos respectivos lugares", acrescentou Bento 16, que se declarou "consternado". O informe publicado na Alemanha sustenta que o então cardeal Ratzinger teria sido informado sobre agressões cometidas pelo padre Peter Hullermann.




Correio Braziliense*

Nenhum comentário