Aconteceu!

PREFEITURA COMEÇA A VACINAR CRIANÇAS MENORES DE 3 ANOS CONTRA A COVID-19 A PARTIR DESTA SEXTA-FEIRA EM MANAUS

Foto – Divulgação / Semsa

A Prefeitura de Manaus inicia a vacinação de crianças de seis meses a menores de 3 anos (2 anos, 11 meses e 29 dias) contra a Covid-19, na próxima sexta-feira, 18/11, em unidades de referência da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). Conforme orientação do Ministério da Saúde (MS), a imunização para esta faixa etária vai contemplar inicialmente as crianças com comorbidades.

O plano de operacionalização da nova etapa da campanha foi concluído por técnicos da Gerência de Imunização e gestores da Subsecretaria de Gestão da Saúde nesta quarta-feira, 16, quando também teve início o treinamento dos vacinadores para aplicação da vacina, que é específica para este público.

De acordo com a titular da Semsa, Shádia Fraxe, a meta do município é alcançar 2.088 crianças, o que corresponde a 90% das 2.320 que têm entre seis meses a menores de 3 anos, com comorbidades, segundo estimativa que leva em conta os registros oficiais do Sistema Único de Saúde (SUS) em Manaus.

“Mais uma vez, avançamos na vacinação contra a Covid-19 e esperamos que os pais levem, de fato, suas crianças para receber o imunizante, que segue como a arma mais eficaz contra a doença, em especial, contra os casos graves, internações e óbitos”, destaca a secretária.

Shádia assinala que a gestão do prefeito David Almeida tem adotado todas as medidas possíveis para garantir que todos tenham acesso às vacinas, o que assegurou a aplicação de quase 5 milhões de doses desde janeiro do ano passado, quando a campanha teve início.

“Não vamos descansar enquanto for necessária a proteção contra a doença.  Estamos diante de um novo aumento de casos de Covid-19 no Estado e este é mais um motivo para alertar as famílias sobre a necessidade de proteção por meio da vacina”.

O imunizante autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para o novo público é o fabricado pela Pfizer Biontech, com concentração diferente da destinada aos outros públicos, devendo ser aplicada em três doses, com intervalos de quatro meses entre cada uma delas.

A gerente de Imunização da Semsa, enfermeira Isabel Hernandes, explica que os técnicos do município já estão sendo treinados para o manuseio e aplicação da vacina.

“É um produto diferente, que precisa ser armazenado, conservado, preparado e aplicado conforme recomendações específicas”, ressalta a gerente, informando que, para evidenciar a diferença, o rótulo e a tampa trazem uma cor diferenciada, que desta vez é o vinho.

Atendimento

A vacina vem em frascos com dez doses, com validade de até 12 horas após aberto. Para evitar a perda de doses, considerando que o público é reduzido, o imunizante será oferecido em quatro unidades de referência da rede de municipal de saúde, sendo uma por distrito de saúde: UBS Áugias Gadelha, na zona Norte; UBS José Rayol dos Santos, na zona Sul; UBS Deodato de Miranda Leão, na zona Oeste; e UBS Alfredo Campos, na zona Leste. Todas farão o atendimento de segunda a sexta-feira, das 8h às 14h, e das 8h às 12h, aos sábados.

Devem ser levadas aos pontos de vacinação todas as crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 3 anos (2 anos, 11 meses e 29 dias), que tenham comorbidades, conforme elencado pelo Ministério da Saúde.

A lista e comorbidades inclui diabetes mellitus, pneumopatias crônicas graves, hipertensão arterial resistente, hipertensão arterial estágio 3, hipertensão arterial estágios 1 e 2 com lesão em órgão-alvo, insuficiência cardíaca, cor-pulmonale e hipertensão pulmonar, cardiopatia hipertensiva, síndromes coronarianas, valvopatias, miocardiopatias e pericardiopatias, doenças da aorta, dos grandes vasos e fístulas arteriovenosas, arritmias cardíacas, cardiopatia congênita, próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados, doenças neurológicas crônicas, doença renal crônica, imunossupressão, hemoglobinopatias graves, obesidade mórbida, síndrome de Down e cirrose hepática.

A criança precisa estar acompanhada de um dos pais ou de um responsável maior de 18 anos, sendo necessário apresentar documento de identificação com foto ou certidão de nascimento; Cartão Nacional de Saúde (CNS) ou CPF; caderneta de vacinação; e original e cópia de documento que comprove comorbidades (laudo médico, receita ou carteira dos programas de saúde).

A vacina contra a Covid-19 neste público pode ser aplicada com outras vacinas do calendário básico, sendo contra indicada apenas nos casos em que a criança apresentar febre ou sintomas gripais.

Na zona rural, as estratégias de vacinação serão definidas de acordo com o funcionamento das unidades terrestres e dinâmicas de visitação das comunidades, inclusive as fluviais, que utilizam pequenas embarcações e também as Unidades Básicas de Saúde Fluviais, que percorrem, a cada 15 dias, as calhas dos rios Negro e Solimões.

Nenhum comentário