Aconteceu!

VÍDEO: QUADRILHA INVADE SHOPPING, APONTA METRALHADORA PARA CLIENTES E FUNCIONÁRIOS E ROUBA R$ 1 MILHÃO EM CELULARES

Um dos criminosos aponta metralhadora para clientes e funcionários dentro do Shopping Tamboré, em Barueri, durante assalto a loja de celulares - Foto: Reprodução/Câmera de segurança

Uma quadrilha armada com metralhadora invadiu na manhã desta quinta-feira (19) um shopping center em Barueri, na Grande São Paulo. Ao menos três bandidos ameaçaram clientes e funcionários e roubaram uma carga de mais de 100 celulares, avaliada em aproximadamente R$ 1 milhão, de uma loja da Claro dentro do Shopping Tamboré.

 

Câmeras de segurança do local gravaram um dos criminosos apontando uma metralhadora para as pessoas dentro do shopping (veja vídeo acima). Não há informações de tiros. Ninguém ficou ferido.


Assista:



Até a última atualização desta reportagem nenhum suspeito pelo crime foi preso. Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), um dos bandidos foi identificado pela polícia nas imagens como um homem de 24 anos. Seu nome não foi divulgado. Os demais assaltantes não foram identificados.


Os telefones roubados também não foram recuperados.

 

De acordo com a Polícia Militar (PM), o roubo ocorreu por volta das 10h40. Segundo a corporação, três criminosos invadiram a loja e renderam os funcionários, que foram levados para uma sala. Outros três bandidos teriam ficado do lado de fora do shopping dando cobertura ao grupo.

 

Depois, os bandidos roubaram ao menos 105 telefones do estoque da Claro, a maioria da marca Iphone, e fugiram do Shopping Tamboré em dois carros, segundo os policiais militares. O Iphone 14, um dos modelos roubados, custa mais de R$ 10 mil, por exemplo.

 

Os agentes informaram ainda que os assaltantes abandonaram um dos veículos numa outra rua próxima ao shopping. Depois, passaram a mercadoria para o outro automóvel, dando continuidade a fuga.

 

As imagens das câmeras de segurança também gravaram outros bandidos, um deles usava uma roupa de uma empresa de telefonia. As filmagens não foram divulgadas pelas autoridades. 


 

*G1

Nenhum comentário