últimas

'NÃO ACEITO TRAIÇÃO' FALA SUSPEITO DE MATAR MULHER EM UM HOTEL NO CENTRO DE MANAUS


Foto: Divulgação




Policiais Civis da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros prenderam Carlos Maki Mota do Nascimento, 27 anos. Ele é suspeito de cometer um feminicídio na última terça-feira, em um hotel no centro da cidade. Câmeras de segurança registraram ele entrando no hotel com a vítima, Maria de Lourdes Palheta, 41 anos. Ele confessou que, por ciúmes, a matou com 8 facadas. 
De acordo com o delegado Paulo Martins, titular da DEHS, Carlos Maki tinha um relacionamento de 3 anos com a vítima. Há 6 meses ele foi preso pelo trafico de drogas e se irritou por ela ter ido visitá-lo apenas 2 vezes durante os 6 meses que esteve preso. Ele também teria descoberto que ela estava o traindo. 
Carlos Maki então, segundo as investigações, premeditou o crime assim que saiu da cadeia. Ele comprou um boné e convidou a vítima para ir ao centro da cidade. Na noite de terça-feira, ele foram a um bar, consumiram bebidas alcoolicas e por volta das 22h, foram ao hotel. O suspeito declarou que os dois foram tomar banho e ele puxou a faca que estava na cintura e desferiu 8 facadas em várias partes do corpo dela.
Na tarde de quarta-feira, a Polícia recebeu informações que o suspeito estaria no bairro do Alvorada, zona Centro Oeste. Os policiais militares da 10ª Cicom foram informados e prenderam Carlos em sua residência. Ele foi encaminnhado para a DEHS no bairro Jorge Teixeira, Zona Leste.

Na apresentação, na manhã desta quinta (22) o suspeito disse que não aceitava traição e que os dois tinham um relacionamento de 3 anos. 
Um homem de 50 anos, esteve na delegacia junto com o irmão da vítima. Ele relatou que os dois tem um relacionamento há 22 anos e ele não sabia do envolvimento dela com o suspeito. O irmão da vítima também relatou que não conhecia o suspeito. JOs dois disseram que na terça-feira Maria de Lourdes recebeu um adiantamento salarial do trabalho de empregada doméstica. E que ele desconfia que o homem a matou para roubar o dinheiro e o celular da vítima. Carlos, por sua vez, negou saber de alguma outra relação de Maria de Lourdes.
O Delegado Rafael Campos, que também faz parte da DEHS, informou que a equipe de investigação foi ao local do crime e lá as pessoas informaram que Maria de Lourdes era garota de programa e na rua Lobo D'almada seria o seu 'ponto'. 
O Delegado contou que as investigações continuam para saber o real motivo do assassinato. Carlos vai responder por feminicídio. Já foi solicitada a prisão preventiva do suspeito e ele vai ficar na sede da DEHS à disposição da justiça


Nenhum comentário