últimas

APÓS DECRETO MUNICIPAL, POUCOS COMPARECEM À PRAIA DA PONTA NEGRA

Foto: Divulgação

Após um dia da assinatura do decreto que determinou o fechamento do Complexo Turístico Ponta Negra, a praia registrou, no início da tarde deste sábado (19), o comparecimento de menos de 20 pessoas que ainda não sabiam da medida.

Ao portal D24AM, o empresário Carlos Cavalcante disse que ainda não sabia que o Amazonas vive a segunda onda da Covid-19. Ele e a família vieram do Acre para conhecer a capital amazonense. “Eu não sabia. Se soubesse eu nem teria vindo. Agora que eu estou sabendo vou ser consciente e fazer o uso da máscara e ir para casa”, disse o empresário.

O decreto foi assinado pelo prefeito Arthur Virgílio Neto na tarde desta sexta-feira (18), na sede da Casa Militar municipal, no bairro Compensa, zona oeste. No local, ele também anunciou a edição de um novo decreto emergencial que deve intensificar as ações da Vigilância Sanitária do município e empossar seis agentes de saúde indígenas, no dia 1º de outubro. Os profissionais atuarão nas comunidades indígenas urbanas com sintomas da Covid-19, além das sete novas Unidades Básicas de Saúde (UBS).

Transporte público

De acordo com o Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU), linhas de ônibus com destino ao Complexo Turístico Ponta Negra não terão acréscimo de frota nos finais de semana, para evitar a ida da população ao balneário. No entanto, para manter o atendimento dos que moram e trabalham na área, a prefeitura vai manter as linhas que circulam no local.

A partir deste sábado (19), as linhas de ônibus serão mantidas com a frota dos dias úteis da semana. São elas: 120 – Ponta Negra / T1 / Centro (cinco ônibus); 450 – Ponta Negra / T3 / Redenção (oito ônibus); 678 – Ponta Negra / V-8 / T5 / T4 (nove ônibus); 641 – Ponta Negra / Aeroporto / T4 / T3 (cinco ônibus).

Retomada turística

Na manhã desta sexta-feira (18), o governador do Amazonas, Wilson Lima, assinou a retomada da atividade turística no Estado, junto a Agência Brasileira de Promoção Internacional do Turismo (Embratur), no Centro de Convenções do Amazonas (CCA) Vasco Vasques, na Avenida Constantino Nery. A assinatura foi feita mesmo após a divulgação de estudos da Fiocruz que afirmam que o Amazonas já vive a segunda onda da Covid-19.

*D24AM

Nenhum comentário