Aconteceu!

DEPUTADA JOANA DARC REALIZA O PRIMEIRO ‘MAMAÇO’ DA HISTÓRIA DO PARLAMENTO ESTADUAL

Foto: Fábio Romão

O plenário Ruy Araújo, da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) foi o cenário para um ‘mamaço’, realizado na manhã desta segunda-feira (16). O ato histórico foi da propositura da deputada estadual, Joana Darc (PL), e reuniu mais de 20 famílias que chamaram atenção da sociedade para a importância do incentivo ao aleitamento materno, em alusão à campanha ‘Agosto Dourado’.

De acordo com a parlamentar, que esteve acompanhada do seu esposo, o empresário Aldenor Lima e seu filho, Joaquim, o ‘mamaço’  foi idealizado para que de forma emblemática a sociedade compreenda que às mães e bebês devem ter seus direitos respeitados em todos os ambientes públicos e sociais.

“Temos 164 anos de Assembleia Legislativa, mas nunca tivemos um mamaço para chamar atenção da sociedade, quanto a importância do aleitamento materno. Esse foi um momento para ir além das homenagens, mas para ouvir tantas pessoas que são expoentes na causa, e transformar tudo que ouvimos e falamos em políticas públicas reais, para todas às mães e bebês”, enfatizou a parlamentar.

Joana Darc é autora dos projetos de lei nº 473/2020; nº 485/2019; nº 240/2021 e ofícios nº 49/2021; nº 88/2021 e nº 89/2021, todos voltados para promoção dos direitos das lactantes e lactentes do Amazonas. “Tenho o orgulho de falar que sou autora dessas iniciativas, que podem ser consultadas no portal da transparência da Aleam. Sei que o caminho para fortalecer essa luta é longo, mas tenho a certeza de que estamos fazendo a diferença nessa causa, que é pela vida”, destacou a deputada.

Para a enfermeira e consultora de amamentação Eurania Pinheiro Pita, o “tabu” construído em torno da mama da mulher dificulta o processo de naturalização da amamentação.

“Resistir a indústria que pega tão pesando, entorno disso, é uma batalha. Muitas das mães que estão aqui, travaram uma luta para viver a plenitude do aleitamento. Precisamos de mais pessoas como a Joana, pessoas que reajam ao sistema, que busquem leis e ações para mudar essa realidade”, comentando que a política deve trabalhar mais, no âmbito do domicílio, “com técnicos e enfermeiros que identifiquem os motivos que interferem na amamentação das pacientes das redes públicas de saúde”, disse a profisisonal.

Mãe e ativista social, Alessandrine Silva, lamentou a falta de espaço político para o debate em favor da amamentação, no Estado. Segundo ela, o trabalho que vem contando com o engajamento da deputada Joana Darc, precisa ser tratado de maneira plural e em todos os níveis. “Esse tipo de registro é um marco político e social. Um ganho . A Assembleia não deve ser mais restrita ao político homem e suas causas. Precisamos falar da amamentação, parto e de como esses momentos devem ser tratados no viés político e econômico”, frisou.

Alessandrine também ponderou a necessidade de estruturar a rede básica de saúde, com profissionais capacitados, que promovam o acolhimento e incentivo das mulheres ao aleitamento e também a doação de leite materno. “As mães atendidas pelo Sistema Único de Saúde, devem contar com esses profissionais. Eu, tive a alegria de poder contar com essas pessoas, mesmo sendo atendida pelo SUS, mas isso deve ser uma normalidade no atendimento às mamães e bebês, em todo o Amazonas”, pontuou Alessandrine.

Exposição de fotos

Funcionários e visitantes da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), poderão conferir até a próxima sexta-feira (20), uma exposição que reúne 30 imagens de mães e bebês, durante o ato de amamentar.

As imagens estão dispostas no hall de entrada da Aleam e são registros do fotógrafo Juan Sirras.

Nenhum comentário