Aconteceu!

PREFEITURA PROMOVE AÇÃO EDUCATIVA DE COMBATE À MALÁRIA DO PORTO DE MANAUS

A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), realizou, na manhã desta quarta-feira, 3/11, no porto de Manaus, no Centro, zona Sul, uma ação educativa para o combate à malária. As atividades foram executadas por profissionais do Distrito de Saúde (Disa) Sul, integrando a programação elaborada pela Semsa para marcar o Dia da Malária nas Américas, dia 6/11, e que vai abordar o tema “Febre pode ser malária”.

Segundo a chefe do Setor de Educação em Saúde e Mobilização Social da Semsa, Lilian Zacarias, a programação envolve atividades educativas em pontos estratégicos, incluindo o porto de Manaus, a marina do Davi, no bairro Ponta Negra, zona Oeste, e a barreira da rodovia AM-010 (Manaus-Itacoatiara), no bairro Lago Azul, zona Norte.

“O objetivo é alertar a população, principalmente as pessoas que estão chegando ou saindo de Manaus, ou que estiveram em áreas de transmissão da doença, para ter atenção sobre a febre como um possível sintoma. A febre é um sinal que caracteriza muitas outras patologias, mas, dependendo da área que o indivíduo visitou, pode indicar uma suspeita para a malária, por isso a população deve ficar atenta e procurar um ponto de atendimento para realizar o exame”, explicou Lilian Zacarias.

A malária é uma doença infecciosa febril aguda, causada por protozoários do tipo Plasmodium, transmitidos pela fêmea infectada do mosquito Anopheles. Além de febre alta, o paciente pode apresentar sintomas como calafrios, tremores, sudorese (suor excessivo) e dor de cabeça, e em alguns casos podem surgir náuseas, vômitos, cansaço e falta de apetite. 

Durante a ação no porto de Manaus, o chefe do setor de Controle de Endemias do Disa Sul, Luciano Lopes da Silva, explicou que a zona Sul de Manaus não é uma área de transmissão de malária, mas muitos moradores visitam locais em que há transmissão da doença, como sítios ou municípios do interior. 

“Então, é preciso ter um cuidado redobrado nas ações de Educação em Saúde para que as pessoas procurem uma unidade de saúde para receber a orientação e buscar o diagnóstico. Também fazemos o monitoramento dos casos positivos para a doença, realizando a investigação do local de transmissão, o que vai permitir iniciar de imediato uma ação de controle do mosquito Anopheles, quebrando o ciclo de transmissão”, destacou Luciano Lopes. 

Atualmente, o município de Manaus conta com 109 unidades ativas, estaduais e municipais, que realizam os exames e a notificação de casos de malária. Entre janeiro e 31 de outubro deste ano, foram notificados 3.669 casos da doença no município, em uma redução de 15,3% em relação ao mesmo período do ano passado, quando o número de notificações ficou em 4.310 casos. 

A programação em alusão ao Dia da Malária nas Américas, dia 6/11, vai seguir na quinta-feira, 4, na barreira da rodovia AM-010 (Manaus-Itacoatiara), no bairro Lago Azul, e na marina do Davi, no bairro Ponta Negra, a partir das 9h. Na sexta-feira, 5/11, a atividade ocorrerá na comunidade Parque das Tribos, no bairro Tarumã, e na Associação dos Moradores da comunidade Nassau, no bairro Colônia Antônio Aleixo. 

O encerramento acontecerá no sábado, 6, no Centro Estadual de Convivência da Família Padre Pedro Vignola, no bairro Cidade Nova, zona Norte, com atividades de distribuição de materiais informativos, exposição de maquetes e de materiais utilizados na prevenção. O trabalho será realizado em parceria com a Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas – Dra. Rosemary Costa Pinto (FVS-RCP/AM) e Ministério da Saúde.

Nenhum comentário