TCE

TCE

Aconteceu!

POLÍCIA CIVIL DO AMAZONAS ALERTA POPULAÇÃO SOBRE GOLPE PARA LIBERAR EMPRÉSTIMO

 

Foto: divulgação

O pagamento de taxas, tarifas ou depósito antecipado para obter o empréstimo de forma mais rápida é objeto de diversos golpes. Em razão disso, a Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da Delegacia Especializada em Crimes contra o Consumidor (Decon), dá dicas de como evitar esse tipo de situação, que surge em momentos oportunos e alerta para que os consumidores estejam sempre atentos.

O delegado Eduardo Paixão, titular da unidade especializada, esclareceu que os infratores induzem as vítimas a depositar determinada quantia em dinheiro, sob vários pretextos, para que o crédito seja liberado em conta.

“Eles induzem as vítimas ao erro e exigem pressa no depósito antecipado, tudo para que o consumidor não tenha tempo de pensar no golpe, fazendo com que a pessoa acredite que terá um empréstimo mais rápido ou descomplicado ou uma carta de consórcio em tempo recorde, mesmo com restrições no nome.  Por isso, fique atento a essas ofertas milagrosas, aos falsos empresários, empresas recém-criadas, como novos Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ). Caso você não tenha nenhuma referência ao quanto ao nome da empresa, certamente trata-se de um golpe”, afirma o titular.

A autoridade policial informou ainda que as pessoas devem desconfiar sempre se a empresa é verdadeira, bem como evitar enviar documentos por meio de redes sociais ou telefone e não efetuar depósitos antecipados para liberação do empréstimo.

“Busque por instituições bancárias reconhecidas e registradas no Banco Central do Brasil, nunca aquelas pequenas empresas terceirizadas que declaram ser parceiras de bancos. Para verificar a veracidade do documento da terceirizada, procure diretamente o banco e confirme”, explicou o delegado.

De acordo com o titular, o consumidor deve atentar a quatro pontos:

1) Sobre a instituição financeira: pesquise se a instituição financeira possui um CNPJ novo ou recente. Para isso, basta acessar o site da Receita Federal: http://servicos.receita.fazenda.gov.br/Servicos/cnpjreva/Cnpjreva_Solicitacao.asp e consultar gratuitamente o comprovante de inscrição e de situação cadastral;

2) Depósitos para Pessoas Físicas (PF): quando se tratar de um empréstimo de uma empresa, nunca faça depósitos para Cadastro de Pessoa Física (CPF). Os depósitos devem ser feitos na conta da empresa contratante com CNPJ;

3) Compartilhamento de dados: não compartilhe dados, documentos em fotos por redes sociais. Opte por uma empresa verídica, recomendada por alguém que já teve uma boa experiência no local, e que tenha um endereço físico e reconhecido em Manaus;

4) Número de processos contra a empresa e proprietários na justiça: consulte o nome completo da empresa e também dos sócios, verificando se existem processos no site do Poder Judiciário do Amazonas: https://consultasaj.tjam.jus.br, para não ser mais uma vítima.

“Estamos empenhados no combate aos crimes de estelionato no estado do Amazonas. A Decon possui uma rede de enfrentamento a esse tipo de crime, oferecendo o apoio e a investigação dos casos, para que as vítimas não se sintam desamparadas”, destacou a autoridade.

Registro de ocorrência – Eduardo Paixão ressaltou que o consumidor afetado por esse golpe pode comparecer à Decon, trazendo o máximo de provas, mensagens, áudios e comprovantes de quem recebeu a quantia, para que as equipes policiais tenham êxito em punir criminalmente os responsáveis. Para recuperar o prejuízo financeiro, a vítima deve demandar na justiça cível.

“A partir do momento em que é feito um empréstimo de maneira insegura, temos a preocupação na punição criminal, mas cabe à pessoa vitimada demandar na justiça civil para recuperação do prejuízo financeiro”, afirma Paixão.

As denúncias podem ser realizadas pelo número 181, o disque-denúncia da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM), ou pela Delegacia Virtual (Devir), pelo endereço eletrônico https://delegaciavirtual.sinesp.gov.br/portal/. Podem ainda ser formalizadas na Decon, situada na rua Desembargador Felismino Soares, 155, bairro Colônia Oliveira Machado, zona sul da capital.

Nenhum comentário