Aconteceu!

VÍDEO: PORTA DE AVIÃO ABRE DURANTE VOO E É SEGURADA POR PASSAGEIROS

 

Reprodução

Passageiros de um avião de pequeno porte, pertencente a uma empresa de táxi aéreo do Acre, passaram por um enorme susto nessa quinta-feira (14/4), quando a porta da aeronave se abriu em pleno voo. Apesar do terror da situação, eles se mobilizaram para puxar a porta e se revezaram para segurá-la durante cerca de 20 minutos, até o pouso em Rio Branco, capital do estado. Ninguém ficou ferido.

O incidente foi reportado para o Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), órgão da Aeronáutica que apura esse tipo de ocorrência no Brasil, mas ainda não há informações oficiais.

A aeronave havia partido de Jordão, no interior do Acre, às 12h30, e chegou ao Aeroporto Internacional de Rio Branco às 14h.

Mulher tenta despachar botijão de gás em voo; 'A senhora derruba um avião com um negócio desses', diz funcionário. VEJA VÍDEO

Havia 10 passageiros no avião, além de piloto e copiloto. A porta abriu, segundo o relato de testemunhas, na parte final do voo, quando a aeronave já começava a reduzir a altitude para se aproximar do aeroporto de destino.

As testemunhas relataram à imprensa acreana que cabos de aço que seguram a porta se romperam, tirando a sustentação do equipamento. Esse cabo chegou a bater na hélice esquerda do avião, um bimotor. O modelo e prefixo do avião não foram divulgados.

“O corrimão que é de corrente encostou na hélice e chegou a bater. Antes que acontecesse qualquer outra coisa, o piloto cortou o motor, que é previsto dentro do manual. Tudo isso que aconteceu está previsto dentro do manual do fabricante da aeronave”, relatou, em entrevista ao G1, Ricardo Lima engenheiro aeronáutico e representante da empresa Rio Branco Táxi Aéreo.


“Nem água com açúcar”

“Ouvimos um barulho, impacto grande, um estrondo e o vento entrando dentro do avião. De uma hora para outra a hélice do lado direito parou, o piloto desligou. Um rapaz foi na frente do avião, o copiloto também saiu e foi para a porta”, disse. “Creio que ficaram segurando a porta por uns 20 minutos. A empresa não explicou o que aconteceu, se foi algo grave, se o avião poderia ter caído, se era uma falha aceitável. Nem uma água com açúcar ofereceram, nada”, completou o passageiro. 


Metrópoles*

Nenhum comentário