Aconteceu!

'ELEMENTOS CORROBORATIVOS LEVARAM CAIO A SER APONTADO COMO AUTOR DO CRIME DE SERVIDORA', APONTA POLÍCIA

A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM) se manifestou através de nota nesta segunda-feira (06), informando que a defesa de Caio Claudino de Souza, de 25 anos, “não solicitou novo interrogatório na delegacia”. Conforme a defesa, o suspeito mudou a versão de que teria matado a servidora por 'estar emocionalmente abalado e sob efeito de drogas', e não teve acesso ao inquérito para pedir a soltura do suspeito.

Ainda segundo a defesa de Caio, não foi disponilizado o acesso a elementos de provas já produzidos. De acordo com a Polícia Cívil, o depoimento dado à Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), "levaram Caio a ser apontado como autor do crime". 

Nesta segunda-feira (06) a juíza Careen Fernandes, da Comarca de Manaus, deu o prazo de 48 horas para a Polícia Civil do Amazonas informar se já cumpriu todos os mandados expedidos pela Justiça. Após esse prazo, se não houver impedimento, a defesa poderá acessar o inquérito e pedir a soltura de Caio Claudino.

Confira a nota da Polícia Civil do Amazonas na íntegra: 


Nenhum comentário