Aconteceu!

POLICIAIS SÃO SUSPEITOS DE EXTORQUIR TRAFICANTES NO INTERIOR DO AM

(Foto: PC-AM/Divulgação)

Manaus (AM) – Seis policiais militares suspeitos de envolvimento com tráfico de drogas foram presos no último dia 23 de novembro durante operação conjunta da Polícia Civil e Polícia Militar em Tefé, interior do Amazonas. Nesta sexta-feira (2), o Tribunal de Justiça (TJAM) divulgou que os criminosos extorquiam traficantes e cobravam R$ 300 mil para permitir a passagem de aviões com as drogas.

Segundo informações, as ”mulas”, pessoa usada por traficantes para transportar a droga ilegal por fronteiras policiadas, mediante pagamento ou coação, eram uma adolescente de 16 anos e uma mulher de 42 anos. A droga foi apreendida na lancha Ágatha Fernandes em duas malas.

Ao ser questionada pelos agentes, a mulher, sem identidade divulgada, informou que foi ela foi contratada por policiais militares no Município de Japurá. As duas tinham o trabalho de transportar os entorpecentes até Tefé e seriam recebidas por outros policiais.

Ainda conforme a mulher, um policial militar seria o chefe do tráfico de drogas na região. Uma semana antes da prisão, cerca de 500 quilos de droga já haviam sido interceptados. Ademais, um grupo da polícia dava cobertura e proteção ao tráfico, no auxílio do pouso de aeronaves carregadas com drogas.

A Polícia Civil, com base na análise das informações divulgadas, prendeu os envolvidos.

O juiz André Luiz Muquy, titular da 1.ª Vara da Comarca de Tefé, decretou a prisão preventiva de três policiais militares no dia 29 de novembro, durante audiência de custódia.

Um dia após a decisão do juiz, mais três policiais foram presos por envolvimento no esquema. Eles extorquiam traficantes e garimpeiros de Japurá, com apreensão de drogas e apropriação do material, com cobrança, em média, de R$ 300 mil para permitir a passagem de aviões fretados sem fiscalização.

“Tais fatos ensejaram a decretação da prisão de mais três policiais militares e a expedição de mandado de busca, apreendidos celulares, computadores e outras fontes de armazenamento”, afirmou o juiz.



*PORTAL TUCUMà

Nenhum comentário